06
Maio
2019

O trabalho não adoece.

Juliana Bisatto Cardoso Bornia Psicóloga credenciada do Judicemed


No mês em que se comemora o dia do trabalho, que tal fazermos uma reflexão de como é a sua relação com ele?


Tem se falado muito sobre como a população está adoecendo por causa do trabalho, aumentando a cada dia, o número de atestados médicos e afastamentos por invalidez.


Mas, infelizmente, a relação não é tão simples assim, na verdade o grande problema não é o trabalho, e sim a maneira em que está lidando com ele.


Houve um avanço muito grande da tecnologia nas últimas décadas, e com esse avanço, um mercado de trabalho muito mais competitivo, o que não dá opção ao homem, a não ser, se adaptar.

E com isso parece que o homem se perdeu, não sabendo como se adaptar a esse novo modelo de trabalho sem se prejudicar.


Para suprir o que o mercado de trabalho exige, o indivíduo aprendeu a doar, doa seu tempo, seu lazer, sua saúde.

A tecnologia trouxe muita coisa boa, facilidades e conforto, mas tem que saber usar, pois com ela é possível estar sempre conectado, não sabendo onde acaba o trabalho e se inicia a vida pessoal.


Onde está o limite? Aquilo que antes era parte fundamental para o indivíduo, como tempo com a família, conversar com amigos ou ver um bom filme, hoje é visto como supérfluos, perda de tempo. Não, não é.

São esses pequenos momentos de prazer que te recarrega para aguentar mais um dia puxado de trabalho.

Ouço muito profissionais, principalmente aqueles que exercem um trabalho de esforço mental, que não tem como mudar, que as pessoas não entendem a importância de sua função, do tamanho de sua responsabilidade e que as outras coisas serão feitas, mas quando tiver tempo.

Toda função exige responsabilidade e empenho do trabalhador, por isso é tão importante ter uma boa saúde mental.

Por exemplo, um dos primeiros fatores atingidos pelo estresse, e que são fundamentais para o bom desempenho de qualquer um, é a atenção e o raciocínio.

As vezes não precisa muito, uma hora que você tire para realizar algo que não seja do trabalho, como um exercício, você desconecta, permitindo que sua cabeça tenha 60 minutos para descansar.

O problema é que não nos permitimos ter essa uma hora.
O trabalho hoje não é só uma fonte de renda, de sustento, ele se tornou um estilo de vida, parte do que você é.

Ele é, muitas vezes, estressante, insalubre, mas também nos faz crescer, desenvolver como pessoa.

E isso é muito bom, só precisa descobrir uma forma de fazer isso sem custar sua saúde.

É possível ser um profissional competente e ter uma vida pessoal.
Basta achar o seu equilíbrio.

Talvez possa começar revendo suas prioridades, seu modo de ver o mundo. Isso não significa que você tem que mudar quem é, às vezes, fazer pequenas mudanças no dia a dia já traz muitos benefícios.


Experimente!! Te garanto que que você continuará sendo um profissional competente, mas talvez, mais realizado e, principalmente, com melhor qualidade de vida.

Dicas para ter uma melhor qualidade de vida no trabalho:


• Incluir em sua rotina atividades prazerosas.

• Ter horário para entrar e sair do trabalho. Se possível, não olhar nem e-mails nem mensagens do trabalho fora do horário de trabalho.

• Saber dizer não

• Dormir e se alimentar bem.

• Fazer atividade física.

Se não sabe por onde começar, ou não consegue sozinho, talvez um psicólogo consiga te ajudar.